Atuação Lírica

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Lua menina


A lua segue no céu, imponente a brilhar,
Cá, na terra, sua presença faz toda a diferença
Seu brilho, na lavoura, traz bonança,
Tu, que serves de guia, ao horizonte navegantes
Aproxima corações sob sua luz a namorar.
Venha aqui menina Lua,
A cada mês você surge irresoluta a crescer:
Tu que fostes um dia lua, menina,
Talvez saiba que sua presença encanta todo meu ser.
Na pausa, no silêncio, em gesto une,
Lembro do cheiro de seu delicado perfume;
Ao longe você me traz o mar
Com sua delicada forma de amar.
Em cada noite, contemplo você
Lua menina.

Luiz Gonzaga

sábado, 20 de outubro de 2012

Baunilha


         O vento que sopra o seu frescor, trazendo, em seu gesto de alvor, toda a fúria de um vendaval de emoções que retorce e traz lembranças de você menina florida de pétalas de baunilha com encanto do brilho remanescente do puro ouro que reflete o iluminar de um olhar com dimensões do horizonte longínquo, cujo destino te buscaria como um felino veloz em busca de seu objetivo; cai a tarde, o sol se esconde. Só não acaba a sua forma única de amar.

Luiz Gonzaga

sábado, 6 de outubro de 2012

Hoje


      Se não existisse o amanhã, aproveitaríamos todos os momentos como únicos que são com voracidade.
    Toque de emoções fluiriam junto dos nossos desejos; ontem pudemos ter certeza de todo o amor existente, em cada lugar que estivemos, em cada olhar compartilhado com você.
     Tens a doçura de um favo de mel, véu vem cobrir-te dos maus espíritos, púrpuras e esmeraldas te esmeram com todo o brilho refletido à tua face.
      O toque de suas mãos remete à sensibilidade da mais nobre seda que traz sobre as cores, perfume e suavidade de formas sensuais expressa em traços da mais elaborada obra clássica.
     Somos os melhores protagonistas desse enredo chamado vida, fomos feitos um para o outro, se não existisse o amanhã, atuaríamos como se existisse apenas o hoje e o ontem, tempos convividos que já foram o amanhã, se não existisse o amanhã, seríamos o sempre, convivendo e compartilhando o mais puro dos sentimentos: o amor. 


Luiz Gonzaga